Atenção Familiar no Cuidado em Saúde Mental: Quem Cuida do Cuidador?

Aline Maria Barbosa Domício Sousa, Caroline Ferreira Sousa, Maria Joaquina Correia Nogueira, Mayra Serley Barreto Oliveira

Resumo


A família é considerada uma unidade social complexa e básica no processo de vida de cada pessoa, formada pela experiência única e dinâmica que cada um desenvolve ao longo do viver. Pessoas em sofrimento psíquico tendem a exigir atenção constante dos familiares. Ao compreendermos os encargos da família neste processo de cuidado, observamos os impactos do convívio com a pessoa em sofrimento psíquico na vida do familiar cuidador. Este estudo trata-se de uma revisão bibliográfica de caráter qualitativo do tipo exploratória e descritiva com objetivo de analisar como a convivência com uma pessoa em sofrimento psíquico afeta a família e compreender a importância da família no cuidado da pessoa em sofrimento, além de apreender as percepções dos cuidadores acerca da sua própria saúde mental no processo de cuidado ao familiar em sofrimento psíquico. Como método utilizamos a revisão bibliográfica com dados das plataformas SCIELO e PEPSIC a partir de critérios de inclusão e exclusão que resultaram em 18 artigos. Em uma etapa posterior à coleta de dados, foi realizada a análise temática para a construção do corpus da pesquisa, que permitiu a criação de quatro categorias temáticas principais. A partir do objetivo inicial proposto para a pesquisa de analisar como a convivência com a pessoa em sofrimento psíquico afeta a família, ficou evidente a relevância do estudo e da temática, bem como da importância do suporte adequado que é requerido tanto as pessoas em situação de sofrimento psíquico, como também aos cuidadores.

Palavras-chave


cuidador, atenção familiar, sofrimento psíquico, saúde mental

Texto completo:

PDF

Referências


Almeida, M. H. S., & Mendonça, Érika S. (2017). Um olhar à família: ressonâncias psicossociais em familiares que convivem com uma pessoa em situação de transtorno mental. Barbarói, (49), 01-24. https://doi.org/10.17058/barbaroi.v0i49.6617

Ahnerth, N. M. S., Dourado, D. M., Gonzaga, N. M., Rolim, J. A., & Batista, E. C. (2020). “A gente fica doente também”: percepção do cuidador familiar sobre o seu adoecimento. Gerais: Revista Interinstitucional de Psicologia, 13(1), 1-20. https://dx.doi.org/10.36298/gerais2020130106

Azevedo, D. M., Miranda, F. A. N., & Gaudêncio, M. M. P. (2009). Percepções de familiares sobre o portador de sofrimento psíquico institucionalizado. Escola Anna Nery, 13(3), 485-491. https://doi.org/10.1590/S1414-81452009000300005

Batista, E. C. (2020). Experiências vividas pelo cônjuge cuidador da esposa em tratamento psiquiátrico. Fractal: Revista De Psicologia, 32(1), 31-39. https://doi.org/10.22409/1984-0292/v32i1/5646

Borba, L. O., Paes, M. R., Guimarães, A. N, Labronici, L. M., & Maftum, M. A. (2011). A família e o portador de transtorno mental: dinâmica e sua relação familiar. Revista da Escola de Enfermagem da USP [online], 45(2), 442-449. https://doi.org/10.1590/S0080-62342011000200020

Borba, L. O., Schwartz, E., & Kantorski, L. P. (2008). A sobrecarga da família que convive com a realidade do transtorno mental. Acta Paulista de Enfermagem, 21(4), 588-594. https://doi.org/10.1590/S0103-21002008000400009

Braga, N. G., Fernandes, N. F. C., & Rocha, T. H. R. (2014). A família no acompanhamento de sujeitos psicóticos: os encargos subjetivos oriundos do sofrimento psíquico. Aletheia, (43-44), 227-238. http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-03942014000100017&lng=pt&tlng=pt

Cardoso, L., & Galera, S. A. F. (2011). O cuidado em saúde mental na atualidade. Revista da Escola de Enfermagem da USP [online], 45(3), 687-691. https://doi.org/10.1590/S0080-62342011000300020

Daltro, M. C. S. L., Moraes, J. C., & Marsiglia, R. G. (2018). Cuidadores de crianças e adolescentes com transtornos mentais: mudanças na vida social, familiar e sexual. Saúde e Sociedade [online], 27(2), 544-555. https://doi.org/10.1590/S0104-12902018156194

Delgado, P. G. (2014). Sobrecarga do cuidado, solidariedade e estratégia de lida na experiência de familiares de Centros de Atenção Psicossocial. Physis: Revista de Saúde Coletiva [online], 24(4), 1103-1126. https://doi.org/10.1590/S0103-73312014000400007

Dias, P., Martins, J. T., Hirata, M., Machado, F. P., & Luis, M. A. V. (2020). Bem-estar, qualidade de vida e esperança em cuidadores familiares de pessoas com esquizofrenia. Revista Portuguesa de Enfermagem de Saúde Mental, (23), 23-30. https://doi.org/10.19131/rpesm.0269

Duarte, L. G. M. F., & Ferreira Neto, J. L. (2016). Familiares responsáveis pelo cuidado de pessoa com transtorno mental em um município de pequeno porte. Pesquisas e Práticas Psicossociais, 11(2), 473-488. http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1809-89082016000200016&lng=pt&tlng=pt

Eloia, S. C., Oliveira, E. M., Lopes, M. V. O., Parente, J. R. F., Eloia, S. M. C., & Lima, D. S. (2018). Sobrecarga de cuidadores familiares de pessoas com transtornos mentais: análise dos serviços de saúde. Ciência & Saúde Coletiva [online], 23(9), 3001-3011. https://doi.org/10.1590/1413-81232018239.18252016

Fontanella, B. J. B., Ricas, J., & Turato, E. R. (2008). Amostragem por saturação em pesquisas qualitativas em saúde: contribuições teóricas. Cadernos de Saúde Pública, 24(1), 17-27. https://doi.org/10.1590/S0102-311X2008000100003

Gomes, M. L. P., Silva, J. C. B., & Batista, E. C. (2018). Escutando quem cuida: quando o cuidado afeta a saúde do cuidador em saúde mental. Revista Psicologia e Saúde, 10(1), 03-07. https://dx.doi.org/10.20435/pssa.v10i1.530

Kebbe, L. M., Rôse, L. B. R., Fiorati, R. C., & Carretta, R. Y. D. (2014). Cuidando do familiar com transtorno mental: desafios percebidos pelos cuidadores sobre as tarefas de cuidar. Saúde em Debate [online], 38(102), 494-505. https://doi.org/10.5935/0103-1104.20140046

Lima, D. C., Bandeira, M., Oliveira, M. S., & Tostes, J. G. A. (2014). Habilidades sociais de familiares cuidadores de pacientes psiquiátricos. Estudos de Psicologia [online], 31(4), 549-558. https://doi.org/10.1590/0103-166X2014000400009

Marques, M., & Lopes, M. (2015). O cuidador familiar no olhar da pessoa com depressão. Revista Portuguesa de Enfermagem de Saúde Mental, (Ed. Esp. 2), 51-56. http://hdl.handle.net/10174/20204

Minayo, M. C. S. (2001). Pesquisa Social. Teoria, método e criatividade (18ª ed.). Vozes.

Moreno, V., & Alencastre, M. B. (2003). A trajetória da família do portador de sofrimento psíquico. Revista da Escola de Enfermagem da USP [online], 37(2), 43-50. https://doi.org/10.1590/S0080-62342003000200006

Navarini, V., & Hirdes, A. (2008). A família do portador de transtorno mental: identificando recursos adaptativos. Texto & Contexto – Enfermagem [online], 17(4), 680-688. https://doi.org/10.1590/S0104-07072008000400008

Ramos, A. C., Calais, S. L., & Zotesso, M. C. (2019). Convivência do familiar cuidador junto a pessoa com transtorno mental. Contextos Clínicos, 12(1), 282-302. https://dx.doi.org/10.4013/ctc.2019.121.12

Ribeiro, J., Souza, F. N., & Lobão, C. (2018). Saturação da análise na investigação qualitativa: quando parar de recolher dados? Pesquisa Qualitativa, 6(10), 3-7. https://doi.org/10.33361/RPQ.v.6.n.10

Rosa, L. S., & Mackedanz, L. F. (2021). A análise temática como metodologia na pesquisa qualitativa em educação em ciências. Atos de Pesquisa em Educação, 16, e8574. http://dx.doi.org/10.7867/1809-0354202116e8574

Reis, T. L., Dahl, C. M., Barbosa, S. M., Teixeira, M. R., & Delgado, P. G. G. (2016). Sobrecarga e participação de familiares no cuidado de usuários de Centros de Atenção Psicossocial. Saúde em Debate [online], 40(109), 70-85. https://doi.org/10.1590/0103-1104201610906

Santin, G., & Klafke, T. E. (2011). A família e o cuidado em saúde mental. Barbarói, (34), 146-160. http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-65782011000100009&lng=pt&tlng=pt

Santos, A. F. O., & Cardoso, C. L. (2012). Autopercepção do estresse em cuidadores de pessoa em sofrimento mental. Psicologia em Estudo, 17(1), 93-101.

Santos, A. F. O., & Cardoso, C. L. (2014). Familiares cuidadores de usuários de serviço de saúde mental: satisfação com serviço. Estudos de Psicologia (Natal) [online], 19(1), 13-21. https://doi.org/10.1590/S1413-294X2014000100003

Souza, L. K. (2019). Pesquisa com análise qualitativa de dados: conhecendo a Análise Temática. Arquivos Brasileiros de Psicologia, 71(2), 51-67. https://dx.doi.org/10.36482/1809-5267.ARBP2019v71i2p.51-67

Souza, M. T., Silva, M. D., & Carvalho, R. (2010). Revisão integrativa: o que é e como fazer. Rev. Einstein, 8(1), 102-106. https://doi.org/10.1590/S1679-45082010RW1134

Spadini, L. S., & Souza, M. C. B. M. (2006). A doença mental sob o olhar de pacientes e familiares. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 40(1), 123-127. https://doi.org/10.1590/S0080-62342006000100018

Treichel, C. A. S., Jardim, V. M. R., Tomasi, E., Kantorski, L. P., Oliveira, M. M. & Coimbra, V. C. C. (2020). Transtornos psiquiátricos menores em familiares cuidadores de usuários de Centros de Atenção Psicossocial: prevalência e fatores associados. Ciência & Saúde Coletiva [online], 25(2), 461-472. https://doi.org/10.1590/1413-81232020252.12532018

Vieira, N. R. S., & Pegoraro, R. F. (2020). Explicações de familiares sobre o sofrimento psíquico: diversidade e integralidade em questão. Psicologia em Estudo, 25. https://doi.org/10.4025/psicolestud.v25i0.41796


Apontamentos

  • Não há apontamentos.